quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Orquestra no deserto

Sou garota delicada,
Índia morta escalpelada.
Sou barulho e silêncio.
Em um dia normal.

Não podem prender-me nessas redes de pescar lula gigante.
Sou líquida, gasosa, rarefeita.



E compro todos os guardas com meus diamantes.




Perdi a carteira na quinta-passada.
Ainda não sei quem eu sou.
.
.
imagens: Giuseppe Arcimboldo




2 comentários:

Tatiana disse...

Genial essa da carteira, sig.
n começo parecia um haicai do leminski. hehehe
beijo

Anônimo disse...

Sou garota delicada......UIIIIII..
Adorei Siguilita.
Siguilita rumo a terra do nunca..rsrsrsrsrsrs..
Bejo..
Cah Michel.