segunda-feira, 14 de abril de 2008

Variantes avariadas a avariar

Minhas variantes variam todos os dias.
O corpo durante o dia come carne e no jantar vomita tudo.
A mente perambula por ai, sem nem sequer me avisar... onde estou? onde minha mente há de estar?
Mil decisões por tomar... vou colocar o abajur aqui...acender a luz...e tentar pensar...

Minhas variantes variam todos os dias.
Um dia verde no outro preto, uma hora rock na outra um dueto.
Fios de cabelos voam por todo lugar, me perdem, me acham, onde irão parar?
Cinco estradas a tomar, essa ou aquela... isso nunca vai acabar.

Minhas variantes variam todos os dias.
O Fogo, a chuva, um doce, não se sabe o que traz alegria.
Vontades, vontades, vontades decidam de uma vez, para onde navegar?
Sinto as pernas, não é possível andar. Sinto as lágrimas sem chorar. Sinto a cabeça e não consigo ao menos raciocinar.

Minhas variantes variam todos os dias.
Um beijo, a fuga, a caça, tudo uma dicotomia.
Sexo, corpo, olhar, vocês é que irão comandar?
Perdôo, quero, não quero, roubo, jogo fora, cato no lixo e não entendo afinal como acalmar esse vicio. Como entender-me de inicio se a cada segundo vem um novo precipício?

4 comentários:

NanaG! disse...

sig minha querida poetisa
adicionei seu blog la no meu, pois adoro o que escreve
beijo
nana

Maristela disse...

Sig avariada... mas quem não é? Até eu, a pessoa mais careta que vc já conheceu em toda a sua vida viro "variando" por aí. Acho que é assim que a gente aprende a viver, ou morrer... sabe-se lá qual é a lógica dessa vida sem lógica nenhuma. Vou te ler sempre... hehehe. Bjo!
Maristela

Maristela disse...

Sig avariada... mas quem não é? Até eu, a pessoa mais careta que vc já conheceu em toda a sua vida viro "variando" por aí. Acho que é assim que a gente aprende a viver, ou morrer... sabe-se lá qual é a lógica dessa vida sem lógica nenhuma. Vou te ler sempre... hehehe. Bjo!
Maristela

Raphael Agner disse...

Bom como falei uma ou 2 vezes, talvez até mais...

Santa cadeira de girar!!!

heheh

bjos